cabeçalho

 

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

 

CRLV E CRV

 

inicio

 

CRLV E CRV

Saiba o que são estes documentos exigidos pelo Detran/Denatran - Entenda que estes documentos integram o registro no governo que seu veículo existe, e está dentro das normas de trafegabilidade.

Este registro que as autoridades de trânsito terão do seu veículo tem que estar de acordo com o existente nele.

Atestar as condições de seguranca mecânica no tráfego, é a tarefa que nossos OIAs e ITLs terão que fazer, e a seguir detalhamos como isto se faz.

Como são os procedimentos dentro da ITL/ OIA:

A equipe técnica inicialmente irá comparar as características do seu veículo com as informações constantes no Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo – CRLV ou no Certificado de Registro do Veículo – CRV bem como na Nota Fiscal do mesmo ou em outro documento hábil fornecido pela autoridade de trânsito, onde conste:

 

CRLV = "Certificado de Registro e Licenciamento de veículos"

É um documento que concede o direito de livre tráfego ao veículo.

 

 

CRLV

CRV = "Certificado de Registro de Veículos"

Vulgarmente conhecido como “RECIBO”

Esse documento é emitido no 1º emplacamento do veículo.

Qualquer alteração de característica como cor, substituição de molas convencionais por molas esportivas, por exemplo, ou qualquer outra como descrevemos brevemente nestas páginas, devem ser informadas ao Detran para que sejam alteradas no CRV (Certificado de Registro do Veículo).

 

 

CRV

Desta forma, em caso de diferenças entre o que estava registrado e a forma como o veículo está, se foi modificado, adaptado ou outro tipo de ocorrência, como já descrevemos aqui no site, o seu veículo terá que passar por inspeção de segurança veicular, e após aprovado será emitido o certificado de que está tudo conforme e o Detran poderá documentar.

A emissão do Certificado de Segurança Veicular (CSV) é realizada exclusivamente por meio eletrônico e só terá validade no âmbito do Sistema Nacional de Trânsito, se registrado no SISCSV.

Daí a importância de finalizar-se totalmente o procedimento.


 


 

 

 

 DOCUMENTOS Necessários para cada tipo de Escopo

 

 

Inclusão de GNV:

- Autorização Prévia - Atestado de Qualidade

- Certificado do cilindro (se GNV)

- Nota Fiscal do Produto

- Nota Fiscal do Serviço

- CRLV ou CRV

- CNH do condutor

Periódica GNV

- CRLV ou CRV

- CNH do condutor

- Último Selo ( Porte Obrigatório)

Retirada de GNV

- Autorização Prévia

- Nota Fiscal de Serviço

- CRLV ou CRV

- CNH do condutor

ANTT e/ou Laudo Técnico

- CRLV ou CRV

- CNH do condutor

Modificados Geral

- Autorização Prévia

- Nota Fiscal do Produto

- Nota Fiscal do Serviço

- CAT ( quando necessário)

ART ( quando necessário)

- CRLV ou CRV

- CNH do condutor

Sinistro

- Autorização Prévia

- Nota fiscal das Peças

- Nota fiscal do Serviço

- CRLV ou CRV

- CNH do condutor

Blindado

-Autorização Prévia

-Autorização do Exército

-Retex

-Nota Fiscal do Produto

-Nota Fiscal do Serviço

-CRLV ou CRV

-CNH do condutor

 

Nota: Portanto, para que se entenda que existe a necessidade de que todos os procedimentos sejam autorizados um a um da base de dados do SISCSV do Denatran, talvez consiga explicar aos usuários, o fato que as ITLs tem que manter a qualidade e rigor necessário para isso.

Qualquer dúvida do DENATRAN, uma simples dúvida quanto a algum documento ou vencimento de algum alvará ou licença de funcionamento, a primeira coisa que ocorre é corte da autorização de emissão do CSV - (conhecido por muitos como o LAUDÃO) - Simplesmente a empresa para de funcionar, e nenhum cliente mais poderá ser atendido.

Por isso pedimos sempre uma geral no seu veículo antes da inspeção, que poupa tempo e reprovas.

 

 

Principais itens de segurança a serem inspecionados:

Extintor: se inexistente, falta de lacre, carga ou cilindro vencido, etc.. (quando aplicável)

Pneus e rodas: dimensões, fixação, desgastes, etc..

Veja este exemplo de desgaste do pneu.

pneus twiNeste caso que estamos demonstrando, você está vendo um "TWI" que é algo que a maioria dos pneus possuem, um indicador de desgaste da banda de rodagem.

 SE ESTIVER AO MESMO NÍVEL Da banda de rodagem do pneu,

 ESTE ENCONTRA-SE IMPRÓPRIO PARA O USO.

 


 

Suspensão: bandejas, molas, amortecedores, alinhamento, balanceamento, folgas, etc.

FOLGAS  Alinhamento e balanceamento: aspectos técnicos e ângulos.

 Limpador de para-brisa: velocidade, palhetas, lavador, etc.

 Triângulo: inexistente ou danificado.

Sistema elétrico: fixação e condições da bateria, fixação, terminais, etc.


 

Sistema de iluminação: compreendem as lanternas, faróis, etc.

FAROIS

 Também serão observados lentes quebradas, lâmpadas queimadas ou   inexistentes, pisca alerta, etc.

 Cinto de segurança: ancoragem, funcionamento, etc.

  Transmissão: indicação das marchas, dificuldades de engates, embreagem, etc.

Portas: inclui capôs, funcionamento, etc.


 

FREIOSFRENOMETRO

Sistema de freios: serviço e estacionamento:

vazamento, desgastes visíveis sem desmontagem, ovalização e eficiência.

 

 


 

Escapamento: corrosão, ruído, fixação, etc.

 Buzina: funcionamento.

 Bancos: ancoragem, estrutura, travas, etc.

 Painel: luzes, mostradores, comandos, etc.

 Outros itens: para-choque, para-lamas, vidros das portas se estão funcionando bem como trincas nos  mesmos principalmente no para-brisa, tanque de combustível, retrovisor, para-sol, corrosão das  lataria, faixas refletivas posicionamento e existência bem como as

 Ferramentas obrigatórias.

NOTA: Não custa ANTES de levar seu carro para a inspeção, faça uma vistoria prévia, sua: depois um belo banho no seu companheiro e a conferência de alguns destes ítens, uma tarefa simples dos que serão examinados, reduzindo as reprovas e diminuindo drasticamente seu tempo perdido com inspeção; algo muito bom para todos os envolvidos!   

TOPO

inicio

 


 

Para quem gosta de análise mais profunda, estamos transcrevendo aqui os requisitos necessários, até para explicar uma pequena parte das exigências feitas à ITL, e do porque das necessidades no capricho com a execução do nosso traballho ou ainda alguma consulta, mas para mais detalhes acesse a portaria na integra pelo link:

PORTARIA N º 160, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014 - DENATRAN (aqui apenas o iten 2)

 

2. REQUISITOS DO MÓDULO INTEGRADOR

2.1. A especificação funcional deste módulo descreve as principais características do sistema de integração ao SISCSV, que deverá executar as seguintes funções:

2.1.1. Comunicação direta com a emissão de CSV localizados nas ITL e ETP;

2.1.2. Armazenamento dos dados das inspeções;

2.1.3. Armazenamento dos resultados dos testes das inspeções;

2.1.4. Filmagem, gravação e armazenamento das imagens de todas as etapas da inspeção veicular

2.1.5. Gravação dos resumos das imagens capturadas (MD5);

2.1.6. Garantir que a mesma ITL ou ETP inicie e finalize a inspeção;

2.1.7. Acesso a sistemas remotos; 2.1.8. Classificação Veicular;

2.1.9. Armazenamento dos dados da inspeção;

2.1.10. Cadastro biométrico dos usuários da ITL e ETP;

2.1.11. Cadastro de veículos que reprovaram na inspeção;

2.1.12. Controle dos usuários de ITL e ETP no sistema através de biometria;

2.1.13. Cadastro de CSV;

2.1.14. Utilização de DataCenter para backUp on-line dos dados;

2.1.15. Capacidade de operação 24h x 7d;

2.1.16. Servidor espelhado “in-loco”;

2.1.17. Redundância dos Links de comunicação;

2.1.18. Geração de relatórios.

2.1.19. Detecção de presença do veiculo;

2.1.20. Captura de imagens;

2.1.21. Decodificação de caracteres alfanuméricos;

2.1.22. Impressão de dados.

2.2. O sistema da ITL ou ETP deverá disponibilizar os testes on-line referentes a cada escopo. Esses testes serão baseados na NBR- 14624.

2.3. Infraestrutura necessária

2.3.1. Local. A ITL e ETP deverão estar localizadas em local adequado e exclusivo para exercer suas atividades, tendo como pré-requisitos:

2.3.1.1. Instalações elétricas adequadas com emissão de ART do responsável técnico;

2.3.1.2. Proteção contra quedas de energia de no mínimo duas horas;

2.3.1.3. Proteção contra incêndios conforme legislação municipal;

2.3.1.4. Segurança física do local com sistema de alarmes 24h x 7d x 365d com empresa de segurança afim de prover resposta imediata para qualquer tentativa de invasão do local;

2.3.1.5. Acesso físico controlado por Biometria (Leitura da impressão digital) na sala do CPD;

2.3.1.6. Sistema de ar condicionado redundante;

2.3.1.7. Filmagem 24h x 7d x 365d da sala do CPD com acesso remoto das câmeras protegido por senha.

2.3.2. Datacenter. Para fins de contingência do módulo integrador, será implantado um sistema redundante em um Datacenter para substituir esse sistema na ocorrência de panes, com as seguintes características:

2.3.2.1. Planos de contingência;

2.3.2.2. Múltiplos fornecedores de banda;

2.3.2.3. Firewalls e IDS (Intrusion Detection System);

2.3.2.4. Presença nos principais pontos de troca de tráfego da Internet;

2.3.2.5. Sistemas de detecção e combate a incêndio;

2.3.2.6. Vigilância 24h x 7d x 365d;

2.3.2.7. Contrato de confidencialidade.

2.3.3. Comunicação com o DENATRAN. Toda a interface de comunicação com o DENATRAN será realizada através de web services de consultas e inserção de dados. Para isso ocorrer, será necessária a implantação de um link de comunicação com a Central SISCSV, localizada no DENATRAN.

2.3.4. Segurança da transação. A ITL e ETP deverão possuir um certificado digital com criptografia 128 bits, a fim de prover um canal criptográfico seguro que mantenha o sigilo e a integridade das informações confidenciais durante todo o caminho entre a aplicação web do usuário e o servidor, utilizando-se de criptografia, nos padrões do protocolo SSL/TLS. Todas as transações deverão ser registradas no banco de dados.

2.3.5. Capacidade de operação 24h x 7d x 365d. A ITL e ETP deverão possuir capacidade para operar durante 24 horas x 7 dias x 365 dias no ano. 2.4. Aplicativos 2.4.1. Biometria. O aplicativo de autenticação biométrica deverá validar os usuários das ITL e ETP. A comunicação com as unidades de cadastro será realizada por meio de web service a fim de prover uma total interoperabilidade.

2.4.2. Softwares de detecção de falhas no sistema. O módulo integrador deverá possuir ferramentas de detecção de falhas no sistema em tempo real, monitoradas por mau funcionamento ou inoperante:

2.4.2.1. Com ITL ou ETP; 2.4.2.2. Com SISCSV; 2.4.2.3. Consulta a BIN;

2.4.2.4. Com datacenter;

2.4.2.5. No banco de dados.

2.4.3. Softwares para emissão de relatórios. O módulo integrador deverá possuir ferramentas que possibilitem a emissão de relatórios:

2.4.3.1. CSV emitidos por ITL ou ETP;

2.4.3.2. CSV por escopo;

2.4.3.3. Transações por usuário;

2.4.3.4. Transações por ITL ou ETP;

2.4.3.5. Percentual de não conformidade por ITL ou ETP;

2.4.3.6. Percentual de não conformidade por usuário.

2.5. Do Sigilo. As ITL e ETP são obrigadas a manter sigilo acerca de quaisquer informações, materiais, documentos, especificações técnicas, rotinas, módulos, conjunto de módulos, programas ou sistemas, que venham a ter acesso ou conhecimento, ou ainda que lhes tenham sido confiados, não podendo, sob qualquer pretexto, revelar, reproduzir ou deles dar conhecimento a terceiros, salvo por determinação judicial ou se houver consentimento autorizado, específico, prévio e por escrito do DENATRAN.

 

TOPO

 

inicio

 

 

rodape